val

Novo pedido de liminar poderá colocar Val Rizzato novamente como prefeito de Meridiano

Da Redação

O Tribunal Superior Eleitoral é quem vai ter que decidir o impasse jurídico em torno do cargo de prefeito de Meridiano. Isso porque o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo negou uma medida cautelar impetrada pelos advogados de defesa do prefeito cassado Val Rizzato (PSDB), e da vice, Márcia Adriano (PTN), que buscava efeito suspensivo para continuarem nos respectivos cargos.

Com a decisão, segundo apurou a Reportagem, a defesa de Val poderá pedir, ainda, durante a semana juntamente com o recurso à Brasília/DF uma nova liminar, na intenção de colocá-lo novamente como prefeito de Meridiano enquanto aguarda os tramites de seu processo no TSE.

Durante a ausência de Val Rizzato frente à Prefeitura de Meridiano, quem assumiu o comando interinamente do município foi o presidente da Câmara, João Binhardi, que prometeu exercer com dignidade e dedicação o mandato temporário. “Nada mudará em relação ao funcionalismo. Vai ser um mandato curto, mas vou fazer o melhor”, enfatizou.

ENTENDA O CASO

Orivaldo Rizzato, o Val, e sua vice, Márcia Adriano (PTN), eleitos em 2016, recorreram da decisão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) que cassou os mandatos dos dois. A defesa de Val entrou com uma medida cautelar que pode sair nos próximos dias e colocá-lo novamente como prefeito de Meridiano.
Para o TRE, Val e a vice Márcia prometeram e entregaram vantagens econômicas em troca de votos nas últimas eleições, em 2016, que previsto no artigo 41- A da Lei nº 9.504/97 consiste na captação ilícita de sufrágio. Segundo a juíza e relatora do recurso eleitoral, Cláudia Fannuchi, as testemunhas ouvidas confirmaram que receberam benefícios em troca dos votos dos três candidatos na época.
O município de Meridiano, que tem 3.927 eleitores, pertence a 302ª zona eleitoral- Fernandópolis.

val